Multimídia / Notícia

11 de outubro de 2017 - 4:11 PM

Nota de repúdio à CGD e apoio à inspetora Marcela

O Sinpol Ceará traz à público o caso ocorrido na Delegacia de Canindé, no qual a inspetora de Polícia Civil Marcela foi submetida, por ordens da Delegada Giselle Oliveira Martins, a executar atividades que não eram de sua competência, como pegar várias vezes papéis na impressora e realizar a coleta de assinaturas. Sendo duramente humilhada, na última solicitação para a mesma coleta de papéis, não aguentando mais, negou o pedido.

Em resposta, a inspetora foi representada e recebeu, na última segunda-feira (09.10), uma suspensão de 30 dias da Controladoria Geral de Disciplina (CGD), que alegou transgressão disciplinar na conduta da policial. Dos 30 dias, 15 foram permutados em desconto de 50% no valor do salário da Inspetora.

O Sinpol destaca o total apoio à inspetora para a reversão da medida abusiva e reitera que não medirá esforços para reparar o prejuízo que foi gerado sobre uma exemplar policial civil, competente e dedicada. O Sindicato entrará com uma ação de danos morais e solicitará à CGD uma justificativa plausível para uma punição tão severa. De acordo com o presidente do Sinpol, Francisco Lucas, o “ Caso Marcela” foi tratado durante reunião que ocorreu na manhã de hoje (10.10), na CGD. “ O Sinpol deixou claro o repúdio em relação ao caso e recebemos a solidariedade por parte das entidades representativas da Polícia Militar e Bombeiros. Faremos ainda o contato com a Fenapef e a Cobrapol para que a questão não seja esquecida”, finaliza Lucas.